Unidade Curricular:Código:
Microbiologia Clínica845MCLI
Ano:Nível:Curso:Créditos:
2LicenciaturaCiências da Nutrição3 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês39
Objectivos de Aprendizagem:
A presente unidade curricular tem como objetivo descrever de forma integrada a etiologia, a patogénese, a epidemiologia e o diagnóstico das infeções que atingem diferentes locais anatómicos do Homem, sendo dada particular ênfase às que são transmitidas por alimentos. Assim, pretende-se a aquisição de competências no que se refere às doenças infeciosas de origem bacteriana, fúngica, vírica e/ou parasitária com relevância clínica para o Homem, nomeadamente à sua etiologia, epidemiologia, patogénese, diagnóstico (incluindo o processamento de amostras clínicas para diagnóstico laboratorial e/ou de alimentos em contexto de controlo e investigação epidemiológica de surtos), prevenção e tratamento. Será também contextualizada a problemática da resistência microbiana a múltiplos antibióticos.
As competências adquiridas inserem-se nos Domínios A, B e C de competências base a adquirir na formação académica para a prática profissional do Nutricionista em Portugal (Ordem dos Nutricionistas).
Conteúdos Programáticos:
AULAS TEÓRICAS
Estudo das principais infeções humanas, nomeadamente a sua etiologia (bacteriana, fúngica, vírica, parasitária), patogénese, diagnóstico, prevenção e tratamento:
Infeções gastrintestinais e outras doenças transmitidas por alimentos (com especial ênfase às infeções por parasitas)
Infeções do trato respiratório
Infeções do sistema nervoso central
Infeções sistémicas
Infeções do trato urinário
Infeções sexualmente transmissíveis
Infeções obstétricas e perinatais
Infeções cutâneas, muco-cutâneas, subcutâneas e osteoarticulares
AULAS LABORATORIAIS
I-Análise de amostras clínicas no contexto do diagnóstico laboratorial de infeções de diferentes etiologias e/ou de alimentos no contexto de controlo ou investigação de surtos (colheita, conservação, validação)
II-Diagnóstico laboratorial
1.Processamento da amostra
2.Identificação de agentes etiológicos (métodos clássicos e moleculares)
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os conteúdos programáticos, centrados numa componente científica e laboratorial avançada no que se refere à etiologia, patogénese, diagnóstico e tratamento de infeções com relevância clínica para o Homem em diversos locais anatómicos (com particular ênfase às que são transmitidas por alimentos), estão totalmente de acordo com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular, uma vez que permitem ao estudante uma ampla aquisição, integração e aplicação, de forma gradual e orientada, dos diversos conceitos, conhecimentos e metodologias fundamentais e específicos em Microbiologia Clínica. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à aquisição dos conhecimentos e competências pelo estudante. Desta forma, o estudante deverá ser capaz de atingir os objetivos de aprendizagem definidos anteriormente.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Forma de execução pedagógica das aulas teóricas: exposição dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, aplicação prática de conceitos, orientação do estudo autónomo do estudante por consulta da bibliografia recomendada. Debate sobre temas relevantes relacionados com o programa.
Forma de execução pedagógica das aulas laboratoriais: preparação, execução e discussão de resultados dos protocolos laboratoriais previstos que reforçam a aprendizagem teórica.
A avaliação segue o determinado na Normativa Académica de funcionamento das Licenciaturas e Mestrados Integrados da UFP.
Avaliação contínua [incluindo: i) duas provas de avaliação teórica escritas e trabalho individual do estudante, onde se enquadram resoluções de casos clínicos ou aprofundamento de conhecimentos através de pesquisa (componente teórica) (80%); ii) duas provas de avaliação prático-laboratoriais e desempenho do estudante em ambiente laboratorial (componente prático-laboratorial) (20%)].
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As metodologias de ensino (exposição teórica, debate, aplicação prática de conceitos e orientação do estudo autónomo e do trabalho laboratorial) estão totalmente de acordo com os objetivos da unidade curricular, uma vez que permitem uma aquisição, reflexão crítica, integração e aplicação graduais dos conhecimentos técnico-científicos. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada ao cumprimento dos objectivos pretendidos. A manipulação de amostras clínicas (e por vezes também de alimentos) em ambiente laboratorial com a finalidade de identificar e caracterizar espécies de microrganismos (bactérias, fungos, vírus, parasitas) causadoras de infeção, reforça os conhecimentos adquiridos sobre os tópicos da componente teórica, através da experimentação científica, e reforça a aquisição de competências. A constante interação entre o docente e o estudante nas aulas de exposição, nas aulas laboratoriais e em sessões tutoriais e períodos de atendimento individual (em que o acompanhamento do estudante é feito de acordo com as suas necessidades e características individuais), permitirão a adequação do estudante aos objetivos propostos. As provas de avaliação serão importantes para avaliar o conhecimento e competências técnico-científicas individuais, permitindo confirmar o cumprimento dos objetivos propostos. A resolução de casos clínicos, o aprofundamento de conhecimentos através de pesquisa ou a aplicação de conhecimentos adquiridos a situações já conhecidas, contribuirão para estimular a curiosidade científica, a reflexão e o espírito crítico, e a integração de conhecimentos, permitindo ainda melhorar a autonomia ao nível da pesquisa bibliográfica e gestão de referências e aperfeiçoar competências de comunicação científica. As competências adquiridas inserem-se em três dos oito domínios de competências base a adquirir na formação académica para a prática profissional do Nutricionista em Portugal (“Referencial para a Formação Académica do Nutricionista” da Ordem dos Nutricionistas, 2016): - Domínio A – “Aplicar os conhecimentos das ciências naturais, ciências da saúde, ciências sociais e tecnologia alimentar e relacioná-las com as ciências da nutrição e alimentação”; - Domínio B – “Aplicar, compreender e escolher métodos de recolha e interpretação de informação sobre o estado nutricional e as interações entre alimentação, saúde e doença”; - Domínio C - “Aplicar métodos de análise física, química, nutricional, microbiológica e sensorial dos alimentos”; “Implementar normas e procedimentos de segurança e qualidade alimentar”.
Bibliografia:
(1) Barroso, H., Meliço-Silvestre, A., Taveira, N. Microbiologia Médica. Lidel, 2014.
(2) Jorgensen, J. H., Pfaller, M. A., Carroll, K. C., Funke, G., Landry, M. L., Richter, S. S., Warnock, D. W. Manual of Clinical Microbiology (11th edition). ASM Press, 2015.
(3) Sousa, J.C., Machado, E., Novais, C., Peixe, L., Amorim, J., Monteiro, N. Antibióticos – Volume I. Edições Universidade Fernando Pessoa, 2016.
Bibliografia Suplementar:
(4) Tille, P. Bailey & Scott's Diagnostic Microbiology (13th edition). Mosby, 2014.
(5) Bhunia, A. Foodborne Microbial Pathogens: Mechanisms and Pathogenesis (2nd edition). Springer-Verlag New York, 2018.
(6) Artigos científicos actuais.
Docente (* Responsável):
Cristina Abreu (cristina@ufp.edu.pt)
Elisabete Machado (emachado@ufp.edu.pt)