Unidade Curricular:Código:
Energias e Meio Ambiente831GEMA
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1LicenciaturaEngenharia Informática3 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês39
Objectivos de Aprendizagem:
A introdução desta disciplina no curso tem por objetivo transmitir aos alunos o conhecimento das diversas formas de energia e sensibilizá-los para a necessidade da sua utilização racional, bem como dos impactes ambientais resultantes da sua exploração e uso. É ainda objetivo da disciplina a apresentação e aplicação da legislação atualmente em vigor relativa à gestão de energia.
As competências transversais adicionais que serão trabalhadas serão:
• Trabalho autónomo e em equipa;
• Capacidade de Organização e de Planeamento;
• Capacidade para tomar decisões;
• Capacidade de auto-aprendizagem;
• Capacidade de aplicação de conhecimentos;
• Capacidade de adaptação a situações novas;
• Capacidade de Comunicação Oral e Escrita;
• Desenvolvimento de Relações interpessoais.
Conteúdos Programáticos:
Conceitos introdutórios: Conceito de energia e sua relação com o ambiente. Recursos energéticos: Energia: produção e impacte ambiental;Estatísticas de energia: Fornecimento de energia primária; Produção mundial de energia elétrica; Indicadores energéticos; Projeções futuras. Política energética da União Europeia: Resoluções Comunitárias na área energética. Sistema energético Português: Caracterização do sistema energético nacional; Balanço energético nacional; Sistema nacional de produção, transporte e distribuição de energia; Políticas nacionais para a energia. Apoio à gestão de energia: Conceito de Consumo específico de energia; Contabilidade e gestão energética; SGCIE - Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos formulados para a unidade curricular incluindo os conceitos básicos de energia e ambiente, estatísticas sobre recursos e consumos, formas de produção e impacte ambiental, política nacional e europeia para energia, bem como a apresentação da legislação em vigor sobre esta matéria.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global dos problemas de energia e ambiente pelos alunos, bem como as políticas e as técnicas aplicáveis na sua resolução. As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas e ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros profissionais.
Bibliografia:
[1] Andrews, J. and Jelley, N. – Energy Science, Principles, technologies and impacts. Oxford University Press, 2007. ISBN: 978-0-19-928112-1.
[2] International Energy Agency. Em linha: www.iea.org/
[3] RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES. Relatório sobre os progressos no domínio das energias renováveis; {SWD(2013) 102 final.
[4] Decreto-Lei 71/2008, de 15 de Abril (Estabelece o Sistema de Gestão do Consumo de Energia por empresas e instalações consumidoras intensivas - SGCIE) e Decreto-Lei 118/2013; Despacho 17449/2008, de 27 de Julho (sistema de gestão dos consumos intensivos de energia – auditorias); Despacho 17313/2008, de 26 de Julho (sistema de gestão dos consumos intensivos de energia – Fatores de Conversão;
[5] DGEG. Em linha: www.dgeg.pt
[6] APA, 2015. Relatório do Estado do ambiente 2015.
Docente (* Responsável):
Nelson Azevedo Barros (nelson@ufp.edu.pt)