Unidade Curricular:Código:
Projecto II145PJ02
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1Ciclo IntegradoArquitectura e Urbanismo11 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês143
Objectivos de Aprendizagem:
A disciplina tem como objetivo o desenvolvimento e aprofundamento dos diferentes modos de representação gráfica já adquiridos na disciplina de Projeto I, por via de vários exercícios em que o projeto é apresentado como uma simulação do real, os alunos deveram desenvolver e exercitar os instrumentos de estudo, pesquisa e desenho para a construção do projeto. O desenho como instrumento de levantamento, análise e representação do lugar é uma ferramenta com a qual os discentes trabalharão durante todo o processo de construção do projeto.
Conteúdos Programáticos:
Conceção e projeto de objeto arquitetónico.
Metodologia gráfica do projeto de arquitetura.
Relações de escala e de medidas.
O Desenho arquitetónico.
Regulamentos e condicionantes.
Elementos e objetos arquitetónicos.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A coerência está fundada na matriz organizativa do conjunto dos exercícios práticos (EP) e teóricos (ET) que transferem para o aluno os conteudos do programa por via da sua manipulação em sede dos exercícios referidos.
Assim, associamos ao programa pedagógico três exercícios teóricos e um exercício prático:
EP_HABITAÇÃO UNIFAMILIAR - 75% (Dois pontos de situação e uma entrega final);
ET1_ESTUDO DE HABITAÇÃO UNIFAMILIAR - 10%;
ET2_FICHA DE LEITURA - 5%;
ET3_PORTFÓLIO - 5%;
DESEMPENHO GERAL DO ALUNO - 5%.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Nas aulas teórico-práticas são realizadas técnicas expositivas, descritivas e demonstrativas. Nas aulas práticas laboratoriais, é realizado um acompanhamento individual e coletivo dos alunos, onde são discutidos os trabalhos.
Com o conjunto dos exercícios e o acompanhamento individual da sua execução, em sala de aula,
exercita/estimula-se:
A partilha e crítica dentro do coletivo turma
O aprofundamento dos instrumentos de representação e comunicação
A consolidação do desenho no processo de construção do projecto e leitura do lugar
A identificação do processo individual como um mecanismo de aferição permanente
A descodificação do lugar
O rigor discursivo da representação e conceção do espaço
A procura/investigação de referências
O ritmo com que os alunos atingem os objetivos cumulativos propostos é verificado através do processo de avaliação contínua.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As capacidades cognitivas e motivacionais são fatores determinantes na realização e alcance dos objetivos curriculares assim como os processos metacognitivos que coordenam as capacidades cognitivas, pelo que a disciplina de Projeto II insiste num dos princípios basilares que é o de que o processo fundado na autocrítica e na prática é o meio através do qual se chega ao projeto. Isto significa que os exercícios de Projeto II são dispositivos que possibilitam ao aluno a consolidação do seu processo individual e a crescente autonomização crítica. Numa primeira etapa, a disciplina de Projeto II está fundada na continuidade da aplicação dos diversos modos de representação gráfica em paralelo com o aprofundamento de sistemas de conhecimento formais e pessoais que permitam a sustentação analítica, critica e teórica dentro do discurso do entendimento do projeto arquitetónico. Numa segunda etapa, é fomentada a utilização do desenho como instrumento de desenvolvimento do processo criativo e de pesquisa ao serviço dos mecanismos intelectuais de construção de uma ideia e de um projeto é fundamental na formação do aluno, deste modo privilegiar-se-á o desenho como um dos instrumentos indispensáveis para a construção do projeto. Finalmente, numa terceira etapa, o cumprimento de quadro de referência para os objetivos de aprendizagem é possível por via da prática pedagógica assente no acompanhamento permanente e continuado do processo individual de cada aluno e na sua orientação fundada no rigor e exigência relativamente à metodologia enunciada no ponto anterior. Desta forma é possível o aluno identificar/reconhecer as suas debilidades e potencialidades e consequentemente identificar, sobe a orientação do docente, os seus mecanismos que lhe permitam evoluir.
Bibliografia:
[1] QUARONI, Ludovico, “Proyectar un Edificio: Ocho lecciones de Arquitectura”, Madrid, Ed. Xarat.
[2] LYNCH, Kevin, “A imagem da cidade”, Ed. 70, Lisboa, 1960.
[3] CULLEN, Gorden, “Paisagem Urbana”, Ed. 70, Lisboa, 1971; ref UFP: BM 711/CUL/1170
[4] TAVORA, Fernando, “Da Organização do Espaço”, 2ª Ed. ESBAP, 1982; ref UFP: BM 72.01/TAV/131
[5] ZEVI, Bruno, “Saber ver a Arquitectura”, Lisboa, Ed. Arcádia, 1977; ref UFP: BM 72.01/ZEV/463
[6] MUNARI, Bruno, “Das coisas nascem coisas”, Ed. 70, Lisboa, 1981; ref UFP: BM 7.05/MUN/934
[7] ROSSI, Aldo, “ La Arquitectura de la Ciudad”, Ed. GG, Barcelona, 1982; ref UFP: BFP 72/ROS/45
[8] BERGER, Jonh, “Modos de Ver”, Ed. 70, Lisboa, 1980; ref UFP: BM 7.01/MOD/7127
[9] NEUFERT, Ernst, “Arte de proyectar en arquitectura”, Ed. GG, Barcelona, 1983; ref UFP: BFP 72.012/NEU/55
Docente (* Responsável):
Frederico Ferreira (ffer@ufp.edu.pt)
João Ferreira (jferr@ufp.edu.pt)