Unidade Curricular:Código:
Terapia Ocupacional 1006TOCP
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1CTSPGerontologia e Intervenção Comunitária4 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês52
Objectivos de Aprendizagem:
OA1. Demonstrar conhecimentos acerca da Terapia Ocupacional e áreas de intervenção.
OA2. Enumerar os vários factores que caracterizam o envelhecimento.
OA3.Reconhecer as patologias próprias do idoso.
OA4. Escolher e executar os procedimentos de avaliação adequados à população idosa.
OA5. Avaliar o contexto e identificar necessidades de adaptação.
OA6. Escolher e executar diferentes métodos para intervir com o idoso.
OA7. Demonstrar conhecimentos acerca do papel do Terapeuta Ocupacional na intervenção com o idoso.
Conteúdos Programáticos:
CP1. Definição de Terapia Ocupacional, seus fundamentos e áreas de intervenção.
Introdução ao estudo do processo de envelhecimento: alguns conceitos.
CP2. Processo de Envelhecimento. Principais Alterações Físicas, Cognitivas e Sociais decorrentes do Processo de Envelhecimento.
CP3.Principais Patologias associadas ao Processo de Envelhecimento.
CP4. O Papel do Terapeuta Ocupacional: Processo de Avaliação e Intervenção com o idoso. Posicionamentos e Transferências do Idoso: teoria e prática.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os conteúdos programáticos (CP) foram delineados em função dos objetivos de aprendizagem (OA) da unidade curricular no sentido de promover junto dos alunos o desenvolvimento de competências que lhes permitam aprofundar conhecimentos, bem como analisar e refletir de modo crítico sobre a intervenção do terapeuta ocupacional em contextos educativos. Assim:
CP1 corresponde a OA1;
CP2 corresponde a OA2;
CP3 corresponde a OA3;
CP4 corresponde a OA4, OA5, OA6 e OA7.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Aulas teórico-práticas
A. Metodologia expositiva, com apresentação de conteúdos programáticos com recurso a projeções, explicações no quadro, exemplificações e casos clínicos
B. Metodologia ativa e colaborativa, com apresentação oral, análise e discussão dos temas nas aulas, resolução de problemas em pequenos grupos de discussão com apresentação à turma e atividades de brainstorming.
Aulas práticas
C. Metodologia participativa/ativa e colaborativa, através da aprendizagem baseada na resolução de problemas com desenvolvimento de dinâmicas práticas em grupo e estudo de casos e role-play.
Avaliação:
Época normal:
A nota final da UC resulta da média ponderada nos seguintes termos:
- Teste Escrito 1 - 35%
- Dinâmicas em pequeno grupo, relatório teórico e apresentação prática - 30%
- Teste Escrito 2- 35%
Época Recurso: Exame (100%)
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
A metodologia utilizada nas aulas teórico-práticas permite obter junto dos alunos um aprofundamento de conhecimentos, bem como uma maior compreensão e capacidade de discussão sobre os conteúdos abordados, facilitando o relacionamento da pertinência dos mesmos para a atuação do terapeuta da fala, promovendo a integração de conceitos, capacidade de pesquisa, análise e reflexão crítica. Com as aulas práticas, nas quais a metodologia seguida assume um caráter mais participativo (com o desenvolvimento de dinâmicas práticas e estudo de casos, orientação nas reflexões críticas e análise de situações problema), pretende-se proporcionar a possibilidade de aplicação de conhecimentos em dinâmicas práticas desenvolvidas ao longo das aulas, promovendo o desenvolvimento de competências relacionadas com a construção de um raciocínio adequado e refletido, com ligação à prática profissional. Deste modo, considera-se que as metodologias de ensino adotadas para esta unidade curricular são coerentes com os objetivos definidos para a mesma, uma vez que permitem um aprofundamento de conhecimentos, fomentam o relacionamento de conceitos, a capacidade de análise, discussão e reflexão, com estabelecimento de ligação dos conteúdos abordados e da sua pertinência à prática profissional do Terapeuta Ocupacional. OA1. Metodologia A) e B); Avaliação – Teste escrito. OA2. Metodologia A) e B); Avaliação – Teste escrito. OA3. Metodologia A) e B); Avaliação – Teste escrito. OA4. Metodologia A), B) e c); Avaliação – Teste escrito. OA5. Metodologia A) e B); Avaliação - Teste escrito. OA6. Metodologia A), B)e C); ; Avaliação – Teste escrito; Dinâmicas em pequeno grupo e apresentação do trabalho (oral e escrito). OA7. Metodologia A). B), e C); Avaliação – Teste Escrito.
Bibliografia:
Abreu, I. D., Forlenza, O. V., & Barros, H. L. (2005). Demência de Alzheimer: correlação entre memória e autonomia. Revista de Psiquiatria Clínica, 32 (3), pp. 131-136.
Bonder, B. R., & Bello-Haas, V. D. (2009). Functional Performance in Older Adults (3rd ed.). Philadelphia:F. A. Davis Company.
Cavalcanti, A., & Galvão, C. (2007). Terapia Ocupacional Fundamentação e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koagan.
Corregidor, A. I., Moralejo, C. G., & Ávila, M. R. (2004). Terapia Ocupacional en psicogeriatria.
Fontaine, R. (2000). Psicologia do envelhecimento (1ª ed.). Lisboa: CLIMEPSI.
Pedretti, L., & Early, M. (2005). Terapia Ocupacional: capacidades práticas para as disfunções físicas (5ª ed.). São Paulo: Editora Roca Ltda.
Santos, P., Foroni, P., & Chaves, M. (2009). Atividades físicas e de lazer e seu impacto sobre a cognição no envelhecimento. Medicina, 42(1), 54-60.
World Health Organization. (2000). Classificação Internacional de Doenças (10ª ed.). EDUSP.
Docente (* Responsável):
Filipa Silva (filipass@ufp.edu.pt)