Unidade Curricular:Código:
Bioestatística e Epidemiologia161BEPI
Ano:Nível:Curso:Créditos:
2LicenciaturaFisioterapia5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês65
Objectivos de Aprendizagem:
A Bioestatística propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes/situações realistas para ilustrar os conceitos, e desenvolver o espírito crítico e de análise dos resultados obtidos.
A Epidemiologia projeta-se na aprendizagem e na prática da saúde pública, para a qual funciona como ciência fundamental. São seus objetivos criar o interesse por entender como é que as doenças ocorrem, porque o fazem sob formas tão variadas, deixando presente as interrogações básicas dos estudos epidemiológicos.
Conteúdos Programáticos:
Bioestatística: Conceitos estatísticos básicos. Estatística descritiva: classificação de variáveis, distribuições de frequência, medidas de tendência central, de partição, de dispersão, de assimetria e de curtose. Correlação e Regressão linear. Variáveis aleatórias discretas e contínuas, função massa de probabilidade, densidade de probabilidade e de distribuição. Algumas distribuições de probabilidade teóricas para v.a. discretas e contínuas. Estimação por intervalo de confiança: valor médio, variância, proporção populacional, RR e OR. Dimensionamento de amostras. Ensaios de hipóteses paramétricos e não paramétricos: procedimento envolvido em ensaios de hipóteses, análise de erros, testes mais comuns.
Epidemiologia: Importância e história da Epidemiologia. Medir Saúde e Doença. Inferência causal: modelos e critérios de causalidade. Epidemiologia clínica. Tipologia de investigação epidemiológica. Desenho de estudos epidemiológicos. Planeamento de uma investigação epidemiológica.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A Bioestatística e a Epidemiologia são instrumentos auxiliares da investigação científica em saúde. Os conteúdos programáticos selecionados para Bioestatística são os de análise de dados exploratória e de inferência de qualquer investigação quantitativa. Na Epidemiologia, são utilizadas ferramentas de descrição do estado de saúde e doença de uma população e também medidas de associação, para analisar a relação com a exposição a determinados fatores. Também são abordados os diferentes níveis de prevenção e os tipos de estudos epidemiológicos, assim como a importância da epidemiologia na prática clínica e na saúde pública.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Exposição oral e explicação dos conteúdos programáticos, com o apoio de meios audiovisuais.
Apelo a uma participação ativa dos alunos, através de uma metodologia interrogativa.
Resolução de exercícios e leitura crítica de artigos.
A percentagem mínima de frequência das aulas desta unidade curricular é de 50%, de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor na UFP.
A avaliação é periódica, com dois testes para a componente de bioestatística e um para a de epidemiologia, tendo cada componente letiva uma ponderação de 50%.
As datas das provas de avaliação serão marcadas no início do semestre.
A falta de comparência a uma prova de avaliação implica a classificação de zero para efeitos de cálculo da classificação final e a não atribuição dos ECTS da unidade curricular.
Os alunos que em avaliação contínua apresentem classificação final inferior a 10 valores são considerados não aprovados e têm direito a realizar um exame de fim de semestre e um exame de recurso.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar os conceitos apreendidos. Deste modo, numa fase inicial, a exposição e explicação oral possibilitam a abordagem e compreensão dos conteúdos programáticos. As aulas privilegiam os métodos ativos e participativos, com vista a manter a atenção dos alunos e a desenvolver a sua capacidade crítica. A resolução de exercícios permite a aplicação e consolidação dos conhecimentos adquiridos. A leitura crítica de artigos, com foco nas secções de materiais e métodos e de resultados, permite perceber como se escreve sobre os métodos de análise de dados e tipologia de estudos e como se interpreta o resultado desses métodos e tipos de estudos através dos indicadores estatísticos e/ou epidemiológicos obtidos.
Bibliografia:
Bioestatística
[1] Daniel, WW; Cross, CL (2013) Biostatistics: A Foundation for Analysis in the Health Sciences, 10th ed., John Wiley and Sons.
[2] Dawson, B; Trapp, RG (2004) Basic & Clinical Biostatistics, 4th ed., Lange Basic Science – McGraw-Hill.
[3] Schork, MA; Remington, RD (2000) Statistics with Applications to the Biological and Health Sciences, 3th ed., Prentice Hall.
[4] Gouveia de Oliveira, A (2014) Bioestatística Descodificada – Bioestatística, Epidemiologia e Investigação, 2ª ed., LIDEL.
Epidemiologia
[5] Greenberg, RS; Daniels, SR; Flanders, WD; Eley, JW; Boring, JR. (Lange’s) Medical Epidemiology, 4th ed., McGraw Hill, 2005.
[6] Gordis, L. Epidemiology, 4th ed., Elsevier Saunders, 2008.
[7] Friedman, GD. Primer of Epidemiology, 5th ed., McGraw-Hill, 2004.
[8] Beaglehole, R; Bonita, R; Kjellström, T. Basic Epidemiology, 2nd ed., WHO, 2000.
Docente (* Responsável):
Catarina Lemos (clemos@ufp.edu.pt)