Unidade Curricular:Código:
Virologia843VIRO
Ano:Nível:Curso:Créditos:
4Ciclo IntegradoCiências Farmacêuticas5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês65
Objectivos de Aprendizagem:
Revisão e discussão atual do conhecimento em Virologia, com particular ênfase na sua importância para o desenvolvimento das competências dos profissionais de Saúde, versando diferentes áreas de atuação, como o diagnóstico clínico e laboratorial, tratamento, prevenção e controlo, e pesquisa bibliográfica corretamente fundamentada. Os alunos deverão ser capazes de reconhecer os sinais e sintomas das doenças, a sua forma de disseminação e a epidemiologia dado terem de ser capazes também de intervir a nível da Saúde Pública e no sentido incluindo a educação para a saúde. No caso especifico das Ciências Farmacêuticas será dado um particular enfase à fundamentação biológica das estratégias preventivas e de tratamento de infeções virais como são o caso dos antivirais e das vacinas.
Conteúdos Programáticos:
Caracterização dos virus e sua intervenção como potenciais agentes causadores de doença. Mecanismos biológicos, patologias associadas, estrategias de prevençao e tratamento. Casos clínicos reais serão apresentados como exemplo na sedimentação dos conhecimentos nos modelos apresentados. Componente laboratorial: Manipulação de produtos biológicos e Identificação de infecções virais.
1. Introdução à Virologia.
2. Vírus causadores de hepatite
3. Infeções virais características da infância.
4. Infeção congénita por vírus e malformações fetais.
5. Infeções sexualmente transmissíveis
6. Infeções gastrentéricas virais
7. Infeção respiratória viral
8. Retrovírus. Infeção VIH/SIDA. Infeções virias em imunodeprimidos.
9. Arbovírus e vírus causadores de doença hemorrágica.
10. Picornavírus.
11. Vacinação. Bioterrorismo.
12. Vírus causadores de carcinomas.
13. Outros vírus com importância clínica
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Dada a necessidade de consolidação de conhecimentos básicos e de uma constante atualização na área da Virologia, dada a sua constante evolução, quer a nível de doenças emergentes, que ao nível da utilização de novas metodologias e conceitos, os conteúdos programáticos incluem, não só os conhecimentos básicos, mas fazem referência a todas as temáticas mais atuais na área da virologia. Os conteúdos programáticos serão abordados numa perspetiva clínica, aproximando a exposição dos conteúdos às necessidades de resposta que se impõem ao profissional de saúde, pensando em termos de patologias. Nesse sentido o estudo das diferentes viroses com relevância clínica para o Homem, como focado nos conteúdos programáticos, prepara o aluno para este desafio profissional. Além disso, saber recolher as amostras corretamente, de acordo com a suspeita clínica, e interpretar os resultados são conhecimentos técnicos e científicos com enfase na parte prática da disciplina.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Aula magistral, discussão de casos clínicos e “problem based learning”.
A avaliação da disciplina compreenderá a realização de duas frequências escritas (cujo coeficiente de ponderação é de 80% na nota final), discussão de casos clínicos, pesquisa e resolução de casos reais e avaliação contínua ponderada (20%).
Forma de execução pedagógica: Exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. Brainstorming sobre questões pertinentes relacionadas com a matéria exposta em sala de aula. Relativamente à componente laboratorial a aprendizagem resulta da execução laboratorial dos trabalhos que reforçam a aprendizagem teórica.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As aulas envolvem a revisão e discussão atual do conhecimento em virologia com particular ênfase na sua importância para o desenvolvimento das competências dos profissionais de Saúde. Dada a evolução constante da Virologia, pretende-se uma atualização de conhecimentos mas, principalmente, que o aluno adquira competências que lhes permitam fazer frente aos problemas que, como profissionais de saúde que já são, se lhes apresentam diariamente. Assim, a resolução de casos clínicos e situações reais, com recurso à bibliografia e orientação para utilizar o conhecimento científico atual às suas reais necessidades práticas, é um dos principais objetivos da disciplina. Assim, a discussão de conceitos, a discussão de casos clínicos e a aprendizagem baseada no problema, “problem based learning”, assumem-se como as metodologias mais apropriadas para atingir os objetivos. As aulas teóricas são de natureza essencialmente expositiva, com apresentação e discussão de casos clínicos e situações reais. Será sempre fomentado o espírito crítico e o estudo autónomo. Para as aulas teóricas usar-se-á a apresentação de diapositivos, sendo fornecida ao aluno a bibliografia nuclear para suporte ao estudo. Nas aulas práticas o aluno aprenderá a metodologia e técnicas mais atuais para diagnóstico laboratorial das infeções, nomeadamente a cultura de células, a biologia molecular e as técnicas imunológicas. Será realizado o diagnóstico a partir de amostras clínicas, e a interpretação de resultados e a forma correta de os reportar.
Bibliografia:
Barroso et al., Microbiologia Médica Volume 1, 2014, LIDEL
Barroso et al., Microbiologia Médica Volume 2, 2014, LIDEL
Ferreira e Sousa, Microbiologia, 2009, LIDEL
Ferreira e Sousa, Microbiologia Volume 3, 2004, LIDEL
Artigos cientificos em:
www.highwire.org
www.sciencedirect.com
www.cdc.gov/eid
Docente (* Responsável):
Fátima Cerqueira (fatimaf@ufp.edu.pt)
Rui Medeiros (medeiros@ufp.edu.pt)