Unidade Curricular:Código:
Tecnologia Farmacêutica I843TFA1
Ano:Nível:Curso:Créditos:
3Ciclo IntegradoCiências Farmacêuticas4 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês52
Objectivos de Aprendizagem:
O objetivo desta unidade curricular é dotar os estudantes dos conhecimentos básicos e específicos que permitem adquirir a competências e aptidões de formular, preparar, controlar as formulações do receituário clínico, permitindo-lhes assumir responsabilidade industrial no que respeita à preparação e ao controlo da qualidade de formas farmacêuticas sólidas para administração oral (i.e. pós medicamentosos, granulados, pastilhas, cápsulas, comprimidos, formas farmacêuticas sólidas revestidas e especiais).
Conteúdos Programáticos:
Pós medicamentosos: Caraterização das substâncias ativas e dos excipientes; Preparação; Pulverização; Mistura; Alterações; Incompatibilidades.
Granulados: Teoria da granulação; Conceitos gerais e técnicas de preparação de granulados.
Pastilhas: Preparação, alterações.
Cápsulas: Tipos e técnicas de obtenção das cápsulas gelatinosas; cápsulas duras; cápsulas moles; cápsulas gastrorresistentes; Incompatibilidades.
Comprimidos: Caraterísticas do material a comprimir; Física da compressão; Preparação; Tipos especiais de comprimidos; Alterações.
Preparações sólidas revestidas: diferentes processos de drageificação.
Pós medicamentosos, granulados, cápsulas, comprimidos e formas farmacêuticas revestidas: Verificação: ensaios físicos; físico-químicos e estabilidade; Acondicionamento: materiais de acondicionamento e tipos de embalagem; Formulário. Legislação.
Preparação laboratorial de formas farmacêuticas sólidas: pós, granulados, cápsulas duras e comprimidos.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A Unidade Curricular de Tecnologia Farmacêutica I tem como principal objetivo a obtenção de preparações farmacêuticas sólidas. Para tal serão abordados conceitos sobre excipientes e substâncias medicamentosas, suas incompatibilidades, ações farmacológicas e biodisponibilidade, formulação, produção ao nível magistral e industrial, conservação e acondicionamento e controlo de qualidade.
A Unidade Curricular tem ainda como objetivo dotar os estudantes de competências para a formulação, manipulação e controlo de qualidade de preparações farmacêuticas sólidas permitindo a análise, preparação e controlo das formulações do receituário clínico, no que respeita às seguintes preparações farmacêuticas: pós medicamentosos, granulados, cápsulas, comprimidos, formas farmacêuticas sólidas revestidas e especiais.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Teórica (70%): apresentados de forma sucinta, organizativa e descritiva, os conceitos, teorias que estão na base do programa. Esta exposição será sempre que possível acompanhada com material audiovisual. No sentido de adquirir as competências, o aluno será incentivado a aprofundar os conhecimentos e a procurar a aplicação na análise de formulações, para além das referidas nas aulas. Nas tutoriais, a docente esclarecerá as dúvidas existentes e orientará o estudo. Avaliação: 2 momentos de avaliação escritos.
Prático-laboratoriais (30%): transmitidos conhecimentos sobre o equipamento e técnicas de preparação das formulações fornecidas. O aluno pesquisará sobre os componentes, indicações, modo de preparação laboratorial e controlo de qualidade das formulações. Durante a aula, o estudante executará o trabalho com base na pesquisa esclarecendo as dúvidas. Avaliação: contínua da execução autónoma dos trabalhos laboratoriais (30%) e realização de uma avaliação laboratorial (70%).
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
A avaliação teórica por escrito permite validar as competências científicas e a sistematização dos conhecimentos adquiridos pelos alunos. A avaliação laboratorial contínua e através da realização de um trabalho permitem avaliar as competências adquiridas ao nível das aptidões práticas e destreza laboratorial. No sentido de adquirir as competências e as aptidões necessárias, o estudante será incentivado a aprofundar os conhecimentos adquiridos nas aulas e a procurar a sua aplicação prática. A todas as atividades com natureza avaliativa serão atribuídos créditos (ECTS) devidamente proporcionais ao número de créditos totais. Os ECTS previstos para o trabalho e estudo pessoal do aluno só lhe serão integralmente atribuídos, ou não, em função do desempenho demonstrado pelo aluno, nomeadamente no que respeita à aquisição de conhecimentos e competências previstas. Além das avaliações referidas, serão dadas aos alunos oportunidades de demonstrar que atingiram os objetivos propostos através de momentos de avaliação caso a docente o entenda ou o estudante o solicite. Estes elementos informativos poderão ser considerados se se verificar benefício para o estudante.
Bibliografia:
1) PRISTA, L.N., CORREIA ALVES, A., MORGADO, R., SOUSA LOBO, J. Tecnologia Farmacêutica; 8ª edição; Fundação Calouste Gulbenkian; Lisboa; 2014.
2) AULTON, The Science of Dosage Form Design, 3rd Churchill Livingston Ed; 2008
3) ROWE, R.C., SHESKEY, P.J., WELLER, P.J. Handbook of Pharmaceutical Excipients. London: Pharmaceutical Press, 2003
4) Farmacopeia Portuguesa 9; Edição Oficial; Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento; Lisboa; 2008.
5) CARMEN LOZANO et al., Manual de Tecnología Farmacéutica. Elsevier, Barcelona, 2012 ISBN: 978-84-8086-600-2
Docente (* Responsável):
Carla Martins Lopes (cmlopes@ufp.edu.pt)