Unidade Curricular:Código:
Enfermagem de Saúde da Criança e do Jovem I853ESJ1
Ano:Nível:Curso:Créditos:
3LicenciaturaEnfermagem4 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês52
Objectivos de Aprendizagem:
Conhecer a evolução dos cuidados à criança e as melhorias significativas na saúde com o avanço das ciências médicas e um novo olhar sobre o “ser criança”; Identificar indicadores de saúde em Pediatria e factores decisivos para a sua evolução positiva; Identificar as etapas do crescimento e desenvolvimento infantil segundo os padrões esperados para a idade e sinais de alerta nos níveis físico, cognitivo e sensório motor; Aprender a comunicar com a Criança/Jovem/Família apropriado à idade e cultura; Reconhecer intervenções de enfermagem que maximizem a adaptação e recuperação da Criança/Jovem/Família em situação de doença e hospitalização, como doença aguda, crónica e deficiência; Valorizar os cuidados antecipatórios na promoção e prevenção da saúde em parceria com a família e comunidade; Reconhecer a parceria com a Criança/Jovem/Pais no processo de Cuidar, potenciando a sua autonomia. Conhecer os Direitos da Criança e a Carta da Criança Hospitalizada. Valorizar o papel parental.
Conteúdos Programáticos:
A Criança/ Jovem na sociedade; Evolução dos cuidados; Indicadores de saúde em Pediatria; Legislação de protecção à criança e ao adolescente. Modelo de Parceria de cuidados; A Criança em Risco ou Negligenciada; Admissão e alta da criança;Parentalidade; Crescimento e Desenvolvimento Infantil, factores influenciadores; Importância da família e do ambiente no desenvolvimento da socialização e segurança da criança; O Adolescente; Prevenção de acidentes; Problemas de saúde mais comuns e intervenções de Enfermagem no período Neonatal e Primeira infância; Alimentação no 1º ano de vida; Intervenções de Enfermagem nas doenças mais comuns na Criança e no Jovem; A Dor na Criança e no Jovem; Estratégias não farmacológicas no controlo da dor ; Situações de doença aguda em crianças; A criança com necessidades especiais de cuidados; Doenças raras; Cuidados de enfermagem à criança/Jovem e família; Preparação e administração de terapêutica em Pediatria. Aspectos Médicos de Saúde Infantil.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os conteúdos programáticos foram elaborados para dar resposta aos objetivos delineados e capacitar os alunos para cuidar da criança/Jovem em parceria com a família, em qualquer contexto que se encontre e para promover o melhor estado de saúde possível. Pretende-se que os alunos reconheçam a especificidade dos cuidados à Criança/Jovem considerando Criança até aos 18 anos. O aluno deve relacionar a evolução positiva dos cuidados pediátricos com a melhoria dos indicadores de saúde infantil ,a publicação de legislação favorável aos direitos da Criança e a melhoria das condições sócio-económicas das famílias e da comunidade. O aluno deve conhecer e valorizar os cuidados antecipatórios na promoção da saúde e prevenção da doença , a valorização dos pais/pessoa significativa como os principais prestadores de cuidados, e o seu papel fundamental na preservação da segurança e bem-estar da criança e família e na maximização do potencial de crescimento e desenvolvimento da criança.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
A avaliação é continua. Os métodos serão o expositivo e interrogativo em sala de aula. Será aconselhada a leitura de obras fundamentais em Enfermagem Pediátrica, e referenciados os programas da DGS na área da Saúde Infantil, o Programa Nacional de Vacinação, o Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil, o Guia Prático de Abordagem , Diagnóstico e Intervenção nos Maus-tratos, entre outros. Na vertente prática abordar-se-ão alguns procedimentos específicos em Enfermagem Pediátrica. A avaliação somativa será feita através de duas provas de frequência e por provas de exame. Na avaliação por frequência, cada prova terá uma ponderação de 50% na classificação final. A avaliação por frequência e a avaliação por exame revestirão a forma de provas escritas, exceptuando-se os exames de recurso e/ou melhoria que podem ainda ter a forma oral, conforme o regime de avaliação em vigor. O aluno será aprovado com a classificação mínima de 10 valores.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
Deve existir uma articulação efectiva entre objectivos, conteúdos e metodologia para que o aluno possa obter sucesso na uc.Com a metodologia demonstrativa pretende-se fornecer aos alunos os conhecimentos básicos da disciplina e com o método interrogativo os alunos são ajudados a procurar respostas às questões sobre as temáticas em estudo, com o apoio constante do professor.As estratégias têm de adaptar-se aos diversos estilos de aprendizagem dos estudantes e utilizadas em função dos recursos disponíveis. Sendo o estudante central no processo e ator privilegiado da sua aprendizagem, propõem-se metodologias que permitam a aquisição dos instrumentos conceptuais e o desenvolvimento das capacidades de curiosidade intelectual, objectividade, dúvida metódica, análise crítica, tomada de decisões e avaliação. O sucesso na unidade curricular é atingido de forma superior se o aluno fizer um estudo aprofundado dos vários conteúdos do programa nas horas de trabalho próprio.
Bibliografia:
Apóstolo,J.M.A.2014.Modelo Touchpoints e Boa Prática em Cuidados neonatais.htpp://fundaçãobgcp. bgp.com/publicacoes-fundacao-bg. Badinter, Elisabeth, O Amor Incerto – História do amor maternal do século XVII ao século XX Lisboa,2006. Brazelton, T.B. & Greenspan S. I. A criança e o seu mundo. Lisboa,2002. Maus tratos em Crianças e Jovens Guia Prático de Abordagem, diagnóstico e intervenção para Crianças e Jovens em risco DGS,2011. Programa Nacional Saúde Infantil e Juvenil DGS,2013. A Dor 5º Sinal Vital. Circular Normativa nº 9/DGCG de 14/06/2003; DGS,2010,Orientações técnicas sobre avaliação da dor nas crianças. Wong Manual Clínico de Enfermagem Pediátrica, David Wilson, MS, RNC Marilyn J. Hockenberry, PhD, RN, PNP-BC, FAAN,Loures: Lusociência. Ordem dos Enfermeiros 2015 Guias orientadores de Boa Prática em Enfermagem Saúde Infantil e Pediátrica; Unicef - Recomendações para a prevenção dos acidentes com crianças.Urgência Pediátrica do Porto, Orientações Clínicas. Ed. ARS-Norte, 2014
Docente (* Responsável):
Amélia José (ajose@ufp.edu.pt)
Maria Cardoso (mcardoso@ufp.edu.pt)