Unidade Curricular:Código:
Enfermagem de Intervenção Familiar Comunitária852EIFC
Ano:Nível:Curso:Créditos:
4LicenciaturaEnfermagem5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês65
Objectivos de Aprendizagem:
Conhecer o fundamento da organização dos CSP em Portugal e a contextualização do enfermeiro de família na equipa de saúde familiar bem como a intervenção deste com ênfase nos programas de promoção da saúde e prevenção da doença de âmbito nacional, nas várias etapas do desenvolvimento familiar no ciclo vital.
Identificar e aplicar os instrumentos de avaliação familiar adequados para identificar riscos reais e potenciais.
Competências
Reconhece a importância da promoção da saúde e prevenção da doença no contexto da intervenção familiar com vista a obter ganhos em saúde;
Demonstra capacidade de trabalho em grupo.
Atendendo ao Perfil de Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais da OE, destacamos: Competência A2-critérios de competência 5,6,7,8,9,10,11,12,13,14,15,16; Competências: B1,B2,B4,B5,B6-critérios de competência 22,23,24,25,28,30,32,33,34,35,36,37,38,39,41,42,43,44,45,50; Competências: C1-critério de competência 83,94,96.
Conteúdos Programáticos:
Módulo 1 – Evolução, organização e funcionamento dos Cuidados de Saúde Primários (CSP) em Portugal; Planos Nacionais de Saúde: princípios, resultados e prioridades.
Módulo 2 – Cuidados de enfermagem em cuidados de saúde primários
Módulo 3 – Enfermagem Familiar: Modelos de de avaliação familiar: modelo dinâmico de avaliação e intervenção familiar.
Módulo 4 –Acompanhamento da criança e adolescente nos CSP - orientações técnicas da DGS: cuidados de enfermagem relacionados com o crescimento e desenvolvimento da criança e adolescente e com a promoção de saúde nas diferentes etapas.
Módulo 5 - Programa Nacional de Vacinação de acordo com as orientações da DGS
Módulo 6- Saúde da Mulher e Saúde Materna: Acompanhamento da mulher nos CSP - orientações técnicas da DGS.
Módulo 7 –Enquadramento do acompanhamento da saúde do adulto e idoso nos CSP.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
No primeiro objetivo os alunos percorrem a construção do SNS em Portugal e o surgimento dos CSP, bem como a última reforma a que foram sujeitos destacando-se as funções em cada Unidade Funcional dos CSP e a articulação entre elas, focando nas intervenções e ações do Enfermeiro de Família.
Como enfermeiros de família conhecer as diretrizes de intervenção na gestão familiar em todos os programas nacionais de saúde adequados a cada grupo etário e fase do ciclo de vida, é essencial para conseguir uma intervenção ajustada, pelo que o segundo objetivo, têm esta finalidade e a abordagem dos diferentes programas nacionais de saúde na sua vertente de assistência nos CSP é essencial para os contextualizar.
Esta intervenção em contexto familiar terá de recorrer a técnicas de educação para a saúde e o desenvolvimento de competências já aprendidas em UC anteriores, mas aplicadas agora ao contexto familiar e ao seu desenvolvimento ao longo do ciclo vital.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Interrogativo, expositivo e demonstrativo.
Exposição oral de conteúdos programáticos.
Metodologia ativa/participativa, com apoio de meios audiovisuais.
Trabalho de pesquisa bibliográfica com apoio do docente, sistematização de conteúdos, analise reflexiva e pesquisa orientada, análise de estudos de caso nas aulas teórico-práticas, e técnicas de "role-play", diversificando os cenários de aprendizagem.
Avaliação:
Frequência: a) Prova escrita cotada de 0-20 valores - ponderação 70% e exclui a temática avaliada pelo trabalho de grupo; b) Trabalho de grupo sobre a temática Módulo 3 – Enfermagem Familiar - ponderação de 30%.
Assiduidade - Regulamento Pedagógico da UFP.
Exame: Prova escrita com duração de 120 minutos - inclui o Módulo 3 – Enfermagem Familiar, avaliada por frequência em trabalho de grupo.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
Numa primeira fase, a necessidade de analisar e refletir sobre conceitos implica a utilização de metodologias expositiva e interrogativa. Numa segunda fase, e recorrendo à utilização de metodologias ativas de ensino-aprendizagem (como as sistematização de conteúdos, analise reflexiva e pesquisa orientada, análise de estudos de caso nas aulas teórico-práticas, e técnicas de "role-play", diversificando os cenários de aprendizagem) e ao integrar o estudante como ativo no seu processo de formação, possibilita a aquisição das técnicas indispensáveis para articular a teoria e a prática. A pesquisa documental e bibliográfica sobre as temáticas da educação para a saúde ao longo do ciclo de vida no contexto dos Programas Nacionais de Saúde, mobiliza os estudantes para uma aprendizagem integral e integrada no contexto em que vão desenvolver a prática.
Bibliografia:
Conselho de Enfermagem (2001). Padrões de qualidade dos cuidados de Enfermagem: enquadramento conceptual; enunciados descritivos. Ordem dos Enfermeiros.
Direcção-Geral da Saúde (2016). Plano Nacional de Saúde: Revisão e Extensão a 2020;
Rogers, B. (2003). Enfermagem do trabalho – Conceitos e práticas. 3ª Edição, Lusociência.Russel, N. (1996) – Manual de educação para a saúde. Lisboa: DGS.
Hanson, S. M. H. (2005). Enfermagem de Cuidados de Saúde à Família: Teoria, Prática e Investigação. Loures: Lusodidacta. ISBN: 9789728383831
Figueiredo, M. H. (2012). Modelo dinâmico de avaliação e intervenção familiar: Uma Abordagem Colaborativa em Enfermagem de Família. Loures: Lusociência .ISBN: 978-972-8930-83-7
Kaakinen, J. R. & Birembaum, L. K. (2011) Desenvolvimento da família e apreciação da enfermagem da família (cap. 24, p. 575 - 602 ) In Stanhope, M. & Lancaster, J. Enfermagem de Saúde Publica. (7ª ed.) Loures: Lusodidacta.
DGS- Direção Geral de Saúde - Pogramas Nacionais.
Docente (* Responsável):
Sílvia Silva (stsilva@ufp.edu.pt)