Unidade Curricular:Código:
Enfermagem Cirúrgica I853ECR1
Ano:Nível:Curso:Créditos:
2LicenciaturaEnfermagem5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês65
Objectivos de Aprendizagem:
Desenvolver conhecimentos inerentes à prática de enfermagem cirúrgica
Conhecer os fenómenos de enfermagem mais comuns na área Cirúrgica
Planear, executar e avaliar os cuidados de enfermagem ao utente do foro cirúrgico
Demonstrar conhecimento das intervençoes de enfermagem a utentes do foro cirúrgico
Desenvolver o pensamento crítico e reflexivo
Atuar de acordo com o código deontológico
Competências:
Atua de acordo com os fundamentos da prestação e gestão de cuidados (20, 23, 25, 26, 29,30)
Contribui com iniciativas de promoção da saúde e prevenção da doença (34 a 41)
Demonstra conhecimento da metodologia do Processo de Enfermagem, (44 a 52)
Identifica estratégias de comunicação e relações interpessoais eficazes com o utente/ família (61, 62)
Identifica estratégias de promoção de um ambiente seguro (68 a71)
Contribui para o desenvolvimento da prática de enfermagem cirúrgica; (83, 85)
Fundamenta a prática de acordo com o quadro ético, deontológico e jurídico
Conteúdos Programáticos:
Nesta Unidade Curricular, serão abordados diferentes aspetos que influenciam a saúde dos utentes, enfatizando os aspetos relacionados com o saber intrínseco da Enfermagem: Diagnostico e intervenções, tendo como ideário uma perspetiva holística.
Papel da enfermagem no período pré-operatório
• Utente do Foro Cirúrgico: taxonomia das Cirurgias
• Papel da enfermagem no período intraoperatório
• Papel da enfermagem no período pós-operatório.
• Feridas cirúrgicas: classificação, finalidade, quanto ao potencial de contaminação, quanto á urgência
• Cuidados de enfermagem a doentes com cirurgias eletivas, nomeadamente: do trato digestivo, urológica, ginecológica, oncológicas, ortopédicas, cardio-torácica, pulmonar, endócrina e neurológica.
• Profilaxia da infeção da ferida cirúrgica e cateteres centrais. Tipo de pensos Cirúrgicos.
• Fármacos mais utilizados: eficácia/eficiência e efeitos colaterais;
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Pretende-se que os conteúdos selecionados, estejam em consonância com os objetivos anteriormente formulados, permitindo capacitar os alunos com os conhecimentos técnico-científicos na área da Enfermagem Cirúrgica. Os conteúdos abordados, têm a abrangência suficiente para que todos os princípios norteadores da profissão e da prática clínica em Enfermagem estejam contemplados. Os temas propostos, têm como finalidade o desenvolvimento continuo dos alunos, sendo todos os conteúdos fundamentais para que adquiram os conhecimentos necessários ao desenvolvimento de competências de observação, de comunicação, de pesquisa, trabalho em equipa, de análise crítica e tomada de decisão, face aos contextos teóricos/práticos no âmbito da Enfermagem Cirúrgica.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Expositivo, participativo, demonstrativo, ativo, com apoio de meios audiovisuais e reflexão conjunta das temáticas; Aulas de Demonstração Prática; Trabalhos de grupo orientados, com aplicação pratica da metodologia cientifica apresentação e discussão;
Realização de workshop no âmbito da pessoa com alterações músculo-esqueléticas e alterações tegumentares
A assiduidade é obrigatória às unidades curriculares do ensino teórico, teórico prático em pelo menos 50% da carga horária da Unidade Curricular e a 80% da Pratica Laboratorial, para ter acesso à avaliação contínua, de acordo com o Regulamento da UFP.
A avaliação contínua é composta por duas componentes: 2 Frequências teóricas (35%+35%) e elaboração, apresentação e discussão de trabalho escrito, com base na metodologia Cientifica (30%)
Exame: os alunos que não obtiverem a aprovação em avaliação contínua, poderão fazer o exame constituído por 1 frequência escrita, com a ponderação de 100%
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
A utilização da metodologia de ensino expositiva, demonstrativa, participativa e ativa, com recurso a frequências teóricas e elaboração de trabalho de grupo, onde demonstra, por escrito e oralmente, evidência de raciocínio clínico. Esta metodologia de avaliação, contribui para a capacitação do aluno, gerando novas ideias e assim, validar o desenvolvimento e a construção de conhecimentos específicos do exercício profissional de enfermagem.
Bibliografia:
Bezerra, A. (2016). Oncologia para Enfermagem. Bookpartners Brasil Editora. ISBN 9788520445266;
CIPE Versão 2015 (2016). Classificação Internacional para a Pratica de Enfermagem/ Conselho Internacional de Enfermeiros. Lusodidacta. - ISBN 9789295099357.
Cunha, L. (2008) - Enfermagem em Ortopedia. Lisboa: Lidel – Edições Técnicas, Ldª.
Martins, O.; Duarte, A. (2014). Enfermagem em Bloco Operatório. Lidel. ISBN 9789727579594.
Monahan F.; Sands J.; Neighbors M.; Marek J.; Greenn C. (2010). Enfermagem Médico-Cirúrgica: Perspetivas de Saúde e Doença; 8ª Edição, lusodidacta,
Nettina, S. (2011). Manual de Pratica de Enfermagem. Rio de Janeiro: 9.ª ed., Guanabara Koogan
Phipps, J. et al (2010) - Enfermagem Médico-Cirúrgica: Perspetivas de Saúde e Doença. 8ª. Ed. Loures: Lusodidacta
PORTUGAL. Ministério da saúde (2011). Manual de Normas de Enfermagem: Procedimentos Técnicos. 3ª ed. Lisboa.
POTTER, P. (2009) - Fundamentos de Enfermagem -Conceitos e Procedimentos. 7ª. Ed. Loures: Lusociência
Docente (* Responsável):
Esmeralda Barreira (merb@ufp.edu.pt)
Margarida Ferreira (mmferreira@ufp.edu.pt)