Unidade Curricular:Código:
Instrumentação e Automação1056IAUT
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1MestradoAnálises Laboratoriais Especializadas (Análise Biomédica)6 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês78
Objectivos de Aprendizagem:
Dar a conhecer a instrumentação que se utiliza nos dias de hoje para efectuar todos os tipos de análise. Treinar os discentes no uso dessa mesma instrumentação. As principais competências que o discente deve atingir com a frequência desta unidade são:
- Conhecer as técnicas e a instrumentação utilizadas para determinar os analitos com relevância nas áreas da análise clínica, análise alimentar, análise ambiental e análise forense;
- Aprender a trabalhar com essa mesma instrumentação;
- Aprender a planear e a executar uma análise utilizando técnicas instrumentais.
Conteúdos Programáticos:
1. Instrumentação para espectrofotometria
2. Instrumentação para cromatografia
3. Instrumentação para técnicas electroanalíticas
4. Introdução aos analisadores automatizados
5. Analisadores automatizados para química clínica
6. Instrumentação para a medição dos gases sanguíneos
7. Instrumentação para electroforése
8. Analisadores automatizados para hematologia
9. Analisadores automatizados para microbiologia clínica
10. Analisadores para imunoquímica
11. Aplicações em análise forense
12. Aplicações em análise ambiental
13. Instrumentação automatizada na indústria alimentar
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A separação, identificação e quantificação de um dado analito nos dias de hoje faz-se essencialmente recorrendo a métodos cromatográficos, à medição da interacção entre a matéria e radiação (técnicas espectrofotométricas), à medição de propriedades eléctricas (métodos electroanalíticos) ou à medição da razão massa/carga (espectrometria de massa). Nos primeiros três capítulos do programa são apresentados os fundamentos das técnicas supracitadas e a instrumentação (componentes e equipamentos) que é necessário para as implementar. Usando somente métodos manuais é humanamente impossível, nos dias de hoje, dar resposta atempada às necessidades de análise em algumas áreas, nomeadamente a clínica daí a necessidade da automatização. No cap. 4 é introduzida a instrumentação automatizada. Nos restantes capítulos (5 a 12) é apresentada a instrumentação específica que é actualmente utilizada para efectuar análises nas áreas clínica, alimentar, ambiental e forense.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
As aulas desta unidade curricular estão divididas em “aulas teóricas” que se destinam primeiramente à exposição dos conteúdos programáticos e em “aulas laboratoriais” nas quais o aluno contacta directamente com a instrumentação durante a execução de um conjunto de análises.
Estes conteúdos são consolidados por recurso a uma série de questões e problemas numéricos que são propostos aos alunos. As aulas práticas incluem a execução de um conjunto de trabalhos onde se usam os vários instrumentos alvo de estudo detalhado na teórica.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
No final desta unidade curricular, os alunos deverão ter a capacidade de reconhecer e descrever a instrumentação mais importante usada na análise quantitativa contemporânea. O tratamento dos dados experimentais obtidos deverá ser plenamente compreendido para que seja possível efectuar um adequado processamento dos mesmos, com vista à obtenção de resultados com adequada precisão e exactidão. Neste sentido, a unidade curricular de Instrumentação e Automação encontra-se dividida em duas componentes essenciais. Na parte teórica são ministrados conceitos inerentes aos fenómenos físicos e químicos envolvidos numa análise instrumental, instrumentação que aproveita esses fenómenos para obter informação química e instrumentação automatizada. Na componente prática laboratorial, o estudante vai ser chamado a realizar análises quantitativas usando métodos espectrofotométricos, potenciométricos e cromatográficos tendo oportunidade de aprender a trabalhar com o equipamento usado para esse efeito nomeadamente equipamento automatizado.
Bibliografia:
[1] - Kory M. Ward-Cook, Craig A. Lehmann, Larry E. Schoeff, Robert H. Williams; Clinical diagnostic technology, AACC Press; 2005
[2] - Kory M., Ph.D. Ward, Craig A. Lehmann, and Alan Leiken; Clinical laboratory instrumentation and automation. Saunders , 1994
[3] - Skoog, D.and Leary, J.; Principles of instrumental analysis, Saunders college publishing, 1992.
[4] - Gerald J. Kost (Ed). ;Handbook of Clinical Automation, Robotics, and Optimization. , Wiley-Interscience, 1996
[5] - Michael G. Bissell and John R. Petersen; Automated Integration of Clinical Laboratories: A Reference, AACC, 1998
[6] - Wayne R. P.; Chemical instrumentation. Oxford University Press, 1994
Docente (* Responsável):
Sérgio Barreira (barreira@ufp.edu.pt)