Unidade Curricular:Código:
Criminalidade Organizada780CORG
Ano:Nível:Curso:Créditos:
2LicenciaturaCriminologia6 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês78
Objectivos de Aprendizagem:
Objetivos gerais: aquisição de conhecimento e capacidade de compreensão; capacidade de aplicar os conteúdos a situações práticas; selecionar a informação pertinente em função da situação-problema; desenvolver as competências de comunicação e de análise crítica.
Objetivos específicos: a) Conhecer as correntes teóricas atuais que orientam o debate sobre a definição de c.o.; b) Compreender a especificidades dos processos de produção de conhecimento nesse âmbito; c) Assimilar as dificuldades e limitações da c.o. enquanto objeto de investigação empírica; d) Ser capaz de perspetivar a heterogeneidade da c.o.das suas características territoriais, organizacionais e estruturais em função do seu contexto de emergência.
Conteúdos Programáticos:
I – Enquadramento concetual
1. A análise do conceito de criminalidade numa perspetiva criminológica
1.1 As definições adiantadas pela comunidade científica – os seus contributos e limitações
1.2 O crime organizado enquanto objeto da criminologia e as possibilidades de produção de conhecimento sobre a criminalidade organizada
II – Enquadramento jurídico
1. A criminalidade organizada e a sua regulação no contexto do ordenamento jurídico português
2. A regulação da criminalidade organizada numa perspetiva de direito comparado
III – Perfis da criminalidade organizada.
1. Análise das organizações criminais tradicionais e atuais e respetivas características territoriais, organizacionais e estruturais:
1.1 Crime organizado em Itália
1.2 Crime organizado na Rússia
1.3 Crime organizado nos Balcãs
1.4 Crime organizado em países asiáticos
1.5 Crime organizado Portugal
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A frequência desta Unidade Curricular permitirá aos estudantes compreender os esforços que têm vindo a ser desenvolvidos pela Comunidade Científica com o intuito de delimitar o conceito de “crime organizado” enquanto objeto de conhecimento e ainda acompanhar a evolução das teorias sobre a criminalidade organizada. Para este fim, os alunos irão estudar os diferentes contributos teóricos sobre o conceito de crime organizado. Adicionalmente, a unidade curricular constituirá uma oportunidade para analisar de forma aprofundada e com um posicionamento crítico os padrões da criminalidade organizada, enfatizando-se as idiossincrasias e dificuldades das investigações empíricas num domínio tão sensível e, para este efeito, os alunos irão analisar um conjunto de case studies (criminalidade organizada em Itália, no Japão, na China, na Rússia, nos Países Balcãs e em Portugal).
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
- Dois Testes Escritos, sem consulta, com duração de duas horas - ponderação de 60%; -Trabalhos grupo e participação: ponderação 30%; participação nas aulas, designadamente nas atividades estruturadas que são propostas pela docente para serem realizadas no contexto de aula (exercícios práticos, comentário crítico das leituras propostas, etc.)
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
Metodologias teórico-práticas onde se combina a exposição estruturada e articulada de conteúdos científicos sobre os diferentes pontos do programa com a promoção de discussões em grupo, previamente agendadas, para que os alunos possam desenvolver a sua capacidade argumentativa e crítica a partir das leituras dos textos incluídos na bibliografia.
Bibliografia:
Alexandre, C. & Balsa J. (2017). Um Sistema Multiagente no Combate ao Branqueamento de Capitais http://dx.doi.org/10.17013/risti.25.1-17
Ferreira, C. (2015) A mediatizacao da corrupção politica em Portugal: Formas, processos e impactos. Média & Jornalismo, 14 (26), 76-90.
Fielding, N. (2017). The shaping of covert social networks: isolating the effects of secrecy. Trends in Organized Crime, 16-30.
Hagan, F. (2006). "Organized crime" and "organized crime": indeterminate problems of definition. doi:10.1007/s12117-006-1017-4
Le Blanc, M., Ouimet, M. & Szabo, D. (2008). Tratado de Criminologia Empírica ISBN 978-972-796-293-8
Maia, A. (2015). A corrupção em Portugal – abordagens distintas de um mesmo objeto. Média & Jornalismo, 14 (26), pp. 12-43.
Neumann, M. & Elsenbroich C. (2017). Introduction: the societal dimensions of organized crime. Trends ..., 1-15.
Ronco, A. & Lavorgna, A. Changing representations of organized crime in the Italian press. Trends ..., 1-23