Unidade Curricular:Código:
Discussão de Casos Baseados na Evidência I1023DCB1
Ano:Nível:Curso:Créditos:
3LicenciaturaTerapêutica da Fala5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês65
Objectivos de Aprendizagem:
No final da unidade curricular o estudante deverá ser capaz de:
1 - Conhecer os objetivos, procedimentos e limitações da prática baseada na evidência (PBE) na tomada de decisão clínica aplicada à terapêutica da fala;
2 - Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão sobre o papel do Terapeuta da Fala (TF) nos domínios relacionados com as perturbações da comunicação humana e da deglutição, identificando recursos para localizar a melhor evidência de pesquisa atual;
3. Ser capaz de analisar e refletir acerca de atividades terapêuticas que fazem parte do perfil de atuação do TF;
4. Recolher, selecionar e interpretar informação relevante, incluindo os aspetos sociais, científicos e éticos, de acordo com os estudos de caso apresentados;
5. Apresentar competências profissionais genéricas de raciocínio clínico, comunicação profissional, aprendizagem contínua e comportamento profissional.
Conteúdos Programáticos:
Conteúdos teórico-práticos:
CP1. Conceito de prática baseada na evidência e evidência baseada na prática;
CP2. Formulação de questão (estratégia PICO), bases de dados para pesquisa, confiabilidade, importância e aplicabilidade da evidência científica;
Conteúdos práticos:
CP3. Abordagens, técnicas e procedimentos específicos na Intervenção Terapêutica baseada na evidência, nas perturbações da comunicação humana e deglutição: I - Análise de vídeos de casos seguidos na Clínica Pedagógica da UFP; II - Análise de videos ilustrativos de diferentes programas de intervenção; III - Análise de artigos de referência de práticas baseadas na evidencia em Terapia da Fala.
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os conteúdos programáticos (CP) são delineados em função dos objetivos de aprendizagem (OA) para promover o desenvolvimento de competências que permitam aprofundar conhecimentos, analisar e refletir de modo crítico sobre a intervenção do TF, tomando decisões baseadas em evidência científica. Assim:
CP1 corresponde ao OA1.
CP2 corresponde ao OA2 e OA3.
CP3 corresponde ao OA4.
CP4 corresponde ao OA5.
O CP1 incide sobre conhecimentos e capacidade de compreensão sobre as diferenças entre PBE e EBP; O CP2 incide sobre conhecimentos para a formulação de questão-problema, onde e como pesquisar e reflexão crítica dos resultados; O CP3 incide sobre conhecimentos e capacidade de compreensão dos diferentes estudos sobre uma área de intervenção.
Dada a especificidade da UC (compilação e análise de conhecimento prévio) os conteúdos são complementados de acordo com as necessidades, providenciando apoio técnico-científico, orientando o aluno na compreensão e adoção das melhores práticas.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
Aulas teórico-práticas e práticas, centradas na exposição e discussão de estudos de caso, através de uma questão-problema relacionada com determinado âmbito de atuação do TF, dando ênfase à condução do raciocínio clínico adequado a cada caso. As questões-problema devem ser levantadas pelo discente, tendo em conta as dúvidas da prática clínica de ECI ou, em alternativa, levantadas pelo docente. É dada relevância à formulação de problemas clínicos e análise de diferentes possibilidades de resposta, com base em artigos científicos de referência, partindo de casos reais (vídeo, casos da clínica pedagógica). É incentivado o processo de diálogo. Preenchimento de instrumentos de avaliação, com recurso a análise de casos; Situações de rol-play.
Avaliação:
Época normal: Avaliação contínua referente à participação nas discussões das questão-problema (30%); Seleção, análise e apresentação de dois artigos científicos (30%); Apresentação estudo de caso (40%)
Época Recurso: Exame (100%)
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
A execução pedagógica das aulas decorre de modo coerente com os objetivos fundamentais da UC. Assim, nesta UC os alunos aprenderão observar, avaliar e decidir, sabendo fundamentar as suas decisões. Sendo a unidade curricular constituída por aulas teóricas e teórico-práticas, as metodologias de ensino utilizadas enquadram-se nos melhores procedimentos usados nesta área. Assim, é feita a exposição das melhores práticas da TF encontradas na investigação publicada, promovendo a participação e análise crítica por parte dos estudantes, acompanhadas de exercícios de consolidação. Nestas aulas pretende-se desenvolver o conhecimento dos alunos e sensibilizá-los para a importância dos temas abordados no contexto real clínico, sendo que a visualização das situações reais contribuem para um melhor enquadramento e maior facilidade na perceção dos objetivos que se pretendem alcançar. Deste modo, os alunos aprenderão observando, analisando, refletindo e tomando decisões sobre os problemas e alternativas propostas, melhorando as suas competências nos temas em questão. Dada a dimensão ecológica e holística do tema da UC procurar-se-á, essencialmente, garantir o desenvolvimento das capacidades de aplicar em contextos diferentes os conhecimentos adquiridos, sob influência de diferentes fatores e variáveis, nomeadamente os contextos de atuação do TF. A verificação da perceção do entendimento dos mesmos conceitos ocorrerá com recurso ao método interrogativo e participativo. O desenvolvimento dos conhecimentos e das competências desta unidade curricular será efetuado através da realização de pequenos trabalhos práticos (e.g. estudos de caso, role-play), exercícios em sala de aula (e.g. relatórios de avaliação com base na observação de vídeos ) e em trabalho autónomo de pesquisa e aplicação das competências adquiridas em contexto real. Complementarmente, serão propostos trabalhos com utilização de casos concretos (em vídeo e na clínica pedagógica de TF da UFP) ligados à área do Curso. Por fim, a avaliação dos alunos servirá para a aferição da eficácia das metodologias de ensino desenvolvidas na UC e, se necessário, no futuro poder-se-á realizar algumas correções nas metodologias de ensino.
Bibliografia:
Portal ASHA. Evidence-Based Practice (EBP). Disponível em https://www.asha.org/Research/EBP/Evidence-Based-Practice/. Consultado em (11.09…2019)
Pesquisa na base de dados b-On, de acordo com as temáticas.
Wong, Odom eta al (2014) Evidence-Based Practices for Children, Youth, and Young Adults with Autism Spectrum Disorder, University of North Carolina, disponível em https://autismpdc.fpg.unc.edu/sites/autismpdc.fpg.unc.edu/files/2014-EBP-Report.pdf
Cichero, J. & Murdoch, B. (Eds.). (2006). Dysphagia: foundation, theory and practice. Chichester: John Wiley & Sons.
Groher, M.E. & Crary, M.A. (2010). Dysphagia: clinical management in adults and children. Maryland Heights: Mosby Elsevier
Susanibar, F et al. (2014). Tratado de evaluación de motricidad orofacial y áreas afines, Madrid Editorial EOS.
Susanibar, F. et al. (2016). Motricidad Orofacial - fundamentos basados en evidencia - volumen 2. Madrid Editorial EOS.