Unidade Curricular:Código:
Tecnologias de Informação ao Serviço dos Idosos 1006TISI
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1CTSPGerontologia e Intervenção Comunitária3 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Primeiro SemestrePortuguês/Inglês39
Objectivos de Aprendizagem:
No final da unidade curricular o aluno deverá ser capaz de:
Identificar as barreiras à utilização da tecnologia pelos idosos e definir estratégias para ultrapassá-las.
Identificar as tecnologias assistivas mais importantes, a sua utilização por idosos.
Dominar os princípios da androgenia aplicados à formação em tecnologias.
Compreender o meio ambiente tecnológico e o quotidiano das populações idosas (cidades inteligentes).
Construir e aplicar um inquérito para identificar tendências tecnológicas e o seu uso pelos idosos.
Conteúdos Programáticos:
1 Barreira à utilização de tecnologias por idoso
Limitações físicas
Desenho e desenvolvimento de aparelhos e hardware
Exclusão digital
Exclusão pelo conhecimento
Barreiras à aprendizagem
2 ITC e qualidade de vida dos Idosos (tecnologias assistivas)
Conceito de tecnologia assistiva
Objectivos da tecnologia assistiva
Implementação da tecnologia assistiva
3 Andragogia ensino de TICs a idosos
O conceito de andragogia
Os 6 princípios explicam as motivações idosos para estudar.
Requisitos de programas de aprendizagem andragógicos.
4 As cidades inteligentes e qualidade de vida dos idosos
Eficiência urbana
Qualidade de vida
Serviços Inovadores
Mobilidade, acessibilidade e inclusão
Controles inteligentes
Aplicações móveis georreferenciadas
Informação local e resposta em tempo real
5 Idoso activo e uso de tecnologias
Construção de um inquérito e respectiva recolha, tratamento e análise de dados
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
A disciplina visa dotar os alunos de capacidade de interrogar e identificar o impacto das TI na vida dos idosos.
As TI assumem uma dimensão estrutural e transversal na sociedade e como tal na vida dos idosos, onde podem usadas e aplicadas nos mais variados domínios. Todavia estão sujeitas a barreiras, que o programa lista e para as quais ensaia algumas respostas.
A condição de senilidade trás consigo a regressão de algumas, para as quais as tecnologias assistivas tem resposta e o programa contempla.
O uso de TI nos idosos é um acto racional (não intuitivo), para isso a solução é formação e treino, a andragogia contém a resposta a essa necessidade.
A abrangência das TI ultrapassa o uso individual e apresenta-se com uma dimensão colectiva, a sua expressão mais completa são as cidades inteligentes, que já hoje oferecem um grande número de potencialidades apropriadas aos idosos e que perspetivam um conjunto de inovações impactante que urge compreender e problematizar.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
1. Aulas expositivas, para apresentação de quadros teóricos de referência.
2. Aulas participativas, com discussão de temas programáticos e exemplos.
3. Aulas ativas, com realização de casos práticos e estudo de casos.
4. Trabalho autónomo: realização de um trabalho prático individual.
Trabalho indivdual: 70%
Portfólio do trabalho desenvolvido em aula: 20%
Participação em aula: 10%
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
As apresentações teóricas-práticas a cargo do docente promovem a aquisição de conhecimento e capacidade de compreensão. As apresentações dos alunos, feitas em grupo ou individualmente, promovem a comunicação e aplicação de conhecimentos e compreensão. Os casos práticos, promovem a realização de julgamento/tomada de decisões e a comunicação e aplicação de conhecimentos e a sua compreensão.
Bibliografia:
Serrão, D. (2010) Tecnologias da informação e exercício da Medicina. Na Academia das Ciências. Pags 165-173. Edição do Autor. Serrão, D. (2010) Aracheobiologia e epigenese. Na Academia das Ciências. Pags187-196. Edição do Autor.
Sites: www.sociadgest.pt, www.dgs.pt, www. planacid.pt, www.seg-social.pt
Viana de Freitas, et al (2006)- Tratado de geriatria e gerontologia. 2º ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan.