Unidade Curricular:Código:
Sociologia e Antropologia da Saúde1096SASA
Ano:Nível:Curso:Créditos:
1CTSPAuxílio de Serviços de Saúde5 ects
Período Lectivo:Língua de Instrução:Nº Horas:
Segundo SemestrePortuguês/Inglês65
Objectivos de Aprendizagem:
A U.C. visa proporcionar aos discentes:
1. O conhecimento do conceito de saúde
2. O conhecimento sobre os fundamentos e objetivos da Sociologia e Antropologia.
3. O conhecimento dos conceitos básicos da Sociologia e Antropologia que podem ser associados à melhor compreensão da saúde e doença., com vista a uma prática profissional informada
4. O conhecimento e compreensão das dimensões que influenciam o estado de saúde/doença.
5. A compreensão da experiência social da doença.
6. O conhecimento dos diferentes paradigmas conducentes às diversas políticas de saúde.
7 .O conhecimento sobre as principais técnicas a aplicar na investigação das dimensões sociais, culturais e políticas da saúde.
Conteúdos Programáticos:
1. Conceitos e termos técnicos usados.
2. Introdução à Antropologia e Sociologia: princípios, conceitos e a sua ligação à saúde
3. Factores sociais como determinantes do estado de saúde e de bem estar.
4. Papel da saúde na sociedade
5. A experiência social da doença e suas representações sociais.
6. Instituições e políticas de saúde.
7. Integração e compreensão da comunidade nas práticas da saúde pública.
8. Metodologias de investigação social aplicadas à saúde
Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objectivos da Unidade Curricular:
Os ponto 1 e 2 cumprirão o objetivo de dar a conhecer aos alunos os conceitos e os termos fundamentais da Saúde, Antropolgia e Sociologia.
Pelos pontos 3 e 4 se darão a conhecer as dimensões e determinantes sociais que influenciam o estado de saúde/doenças, sendo tal conhecimento orientado para a compreensão desta influência
O objetivo de proporcionar aos discentes a possibilidade da compreensão da experiência social da doença será cumprido pelo ponto 5 do programa.
Os pontos 6 e 7 darão a conhecer os diferentes paradigmas que influenciam as diferentes políticas de saúde e as consequência destas para as instituições e para os cidadãos.
O ponto 7 introduzirá os alunos na prática da investigação social aplicada à saúde, dando, pois, a conhecer as principais técnicas que podem ser empregues.
Metodologias de Ensino (Avaliação Incluída):
A unidade curricular será lecionada, sobretudo, com recurso ao método expositivo, mas também com recurso ao método ativo.
O primeiro tem por base a transmissão de informação, sendo esta levada a cabo pelo docente. É adequado à apresentação de conhecimento de cariz conceptual e teórico, pelo que, atendendo aos conteúdos programáticos desta UC, será fundamental para a lecionação da mesma.
O segundo convida à participação do discente em ações concretas de aprendizagem que, no caso da presente UC, serão orientadas, sobretudo, para a pesquisa e investigação acerca das temáticas abordadas.
Avaliação: 2 testes, com 50% de ponderação para cada um deles.
Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objectivos de Aprendizagem da Unidade Curricular:
O cumprimento dos pontos 1 e 2 do programa serão feitos pela exposição dos principais conceitos e princípios estruturantes da Sociologia e Antropologia, bem como da Saúde, pelo que o método expositivo é o mais adequado. Os alunos não deixarão, contudo, de tomar a iniciativa de pesquisar informação sobre as temáticas aludidas. Relativamente aos pontos 3 e 4, o método expositivo permitirá transmitir o conhecimento sobre os fatores determinantes do estado de saúde e o papel desta na sociedade. Com o recurso ao método ativo os discentes apresentarão situações concretas resultantes da sua pesquisa e que sejam demonstrativas da influência de tais fatores, bem como do papel que a saúde assume na sociedade contemporânea. Para a reflexão sobre a experiência social da doença e suas representações sociais previstas no 5 do programa, o método ativo é adequado. Os estudantes serão incentivados à pesquisa sobre situações concretas de experiência social da doença. Tratando-se de conhecimento de cariz teórico e político, os principais paradigmas que orientam as políticas e as instituições de saúde previstos nos pontos 6 e 7 do programa serão dados a conhecer através do método expositivo. O ponto 8 do programa implicará a apresentação, pelo método expositivo, das técnicas de investigação, mas, sobretudo, o recurso ao método ativo, pelo qual os alunos aplicarão as técnicas lecionadas.
Bibliografia:
Abdelmalek, A. & Gérard, J. (1999), Ciências humanas e cuidados de saúde : manual para profissionais de saúde, Lisboa, Instituto Piaget.
Alves, F. (coord.) (2013), Saúde, Medicina e Sociedade. Uma Visão Global, Lisboa, Pactor.
Barros, P. (2013), Pela sua Saúde, Lisboa, Fundação Francismo Manuel dos Santos.
Boquinhas, J. (2012), Políticas e Sistemas de Saúde, Coimbra, Almedina.
Breton, D. (2007), Compreender a dor, Cruz Quebrada, Estrela Polar.
Breton, D. (2010), Sociologia do Corpo, Rio de Janeiro, Vozes.
Giddens, A. (1997), Sociologia, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
Goffman, E. (1988), Estigma. Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada, Rio de Janeiro, LTC.
Rabelo, M. et al. (1997), Experiência de doença e narrativa, Rio de Janeiro, Fiocruz.
Silva, L. (2004), Sócio-antropologia da saúde : sociedade, cultura e saúde-doença, Lisboa, Universidade Aberta.
Docente (* Responsável):
Daniel Seabra (das@ufp.edu.pt)